quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Exposição sobre o comércio mundial nos séculos XV e XVI




Encontra-se patente na biblioteca escolar uma exposição subordinada ao tema "O Comércio Mundial nos Séculos XV e XVI", levada a cabo pelos alunos da turma E do oitavo ano, sob orientação da professora de História, Maria Luísa Ferreira. Os visitantes podem observar trabalhos muito originais, elaborados com os mais diversos materiais.
A biblioteca disponibilizou também alguns livros dedicados ao tema, que vieram enriquecer ainda mais esta exposição. 
Não deixes de visitar!




Carolina Biscaia, 8ºD
Maria Pereira, 8ºD
Jéssica Lopes, 8ºD


Joaquim de Carvalho apurada para Regional de Basquetebol


No dia 14 de fevereiro, a Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho participou no “Projeto Basquetebol 3x3 nas Escolas”, fase distrital, no Agrupamento de Escolas de Tábua. Este projeto é uma parceria do Desporto Escolar com a Federação Portuguesa de Basquetebol, que aposta na revitalização do basquetebol nas escolas básicas e secundárias, levando deste modo a modalidade às crianças e jovens dos 10 aos 21 anos.

Constituição das equipas da nossa escola e resultados obtidos:
Infantis fem.: Beatriz Duarte;  Carolina Nogueira;  Carolina Teixeira;  Mariana Morgado (7ºC) – 2º classif.
Infantis masc: Diogo Costa (7ºD);  Diogo Luís, Gonçalo Ferreira,  Rodrigo Lopes (7ºE) – 2º classif.
Iniciados fem: Catarina Araújo, Esmeralda Santos (9ºE); Constança Pereira (8ºD); Mafalda Mateus (8ºB) – 2º classif.
Iniciados masc: Francisco Bento (9ºD); Gabriel Bezerra, Pedro Grilo, Tiago Rodrigues (9ºA) – 1º classif.
Juvenis fem: Ana Albuquerque (11ºF); Beatriz Ferrão (11ºC); Marta Simões (11ºA); Patrícia Macedo (12ºD) – 3º classif.
Juvenis masc: Frederico Simões, Gonçalo Almeida (11ºD); Gonçalo Mateus (11ºC); João Marques (11ºB) – 1º classif.

De destacar que todas as equipas da escola tiveram um lugar no pódio e que as duas primeiras classificadas de cada escalão ficaram apuradas para a fase regional, a realizar no dia vinte e seis de abril, na Escola EB 2,3 Dr. João de Barros.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Entrevista a Gonçalo Cantante, presidente da A.E


Sinal - Por que querias ser presidente da A.E.?
G.C. - Aceitei o desafio pois queria fazer atividades para a escola e relacionar-me com os colegas.

S. - De onde veio o nome da lista?
G.C. - Toda a gente deu a sua opinião e escolhemos o nome pela seu significado de união.

S.- Quais são os projetos a desenvolver durante o ano?
G.C. -Fazer tudo o que prometemos no projeto: concursos de videojogos, recolha de lixo  e algumas atividades que combinámos com a outra lista (propostas parecidas), atividades desportivas.

S- Durante a campanha acharam que iam ganhar?
G.C. - A campanha foi aguerrida e tive dúvidas, mas estou feliz por ter conseguido a confiança dos alunos.

S- Como foi a sensação de terem ganhado?
G.C. - Não queria acreditar que finalmente ia ser presidente da
AE. Só caí em mim após alguns dias quando entrei na Associação.

S-Foi difícil arranjar patrocínios?
G.C. -Foi necessário muita procura. Não diria difícil mas foi preciso trabalhar para tal.

S.- O que podemos esperar da Tribe?
G.C.- Podem esperar um grupo que ajude, que dê conselhos aos alunos e que queira que a escola tenha um bom clima.

S.-Como és do 12º , não achas que seria mais benéfico o presidente ser de outro ano?
G.C. - Não acho que seja mais benéfico porque vou deixar um bom representante e temos uma boa equipa.

S- O facto de ser presidente da A.E mudou a relação com os teus colegas?
G.C- Acho que as pessoas não me tratam de maneira diferente, mas sinto que fiz novas amizades e que enriqueci outras durante todo o processo que foi a campanha e tudo o que se lhe seguiu.

S.- De onde surgiu a ideia de formar uma lista?
G.C- No final do 11º ano começamos a ter uma vaga ideia de que queríamos formar uma lista e a partir daí tudo se começou a desenvolver.

S.-Tiveram algum percalço durante a campanha? E após a mesma?
G.C- Sim, houve imensos percalços. A certa altura estava tudo a correr mal ( no primeiro dia faltavam imensas “sweats”, houve artistas que desmarcaram a atuação à ultima da hora e até nos deparámos com a falta de material técnico), mas apesar disto, todos trabalhámos para que tudo corresse bem e, no fim, compensou.

S.-Pensam que tiveram uma boa adesão por parte dos alunos?
G.C- Eu penso que sim porque com a nossa campanha conseguimos abranger não só os alunos do ensino secundário como também os do básico e que ambas as listas obtivessem um elevado número de votos, o que mostra a adesão dos alunos às atividades realizadas na escola.

S.-Deixa uma mensagem aos alunos da ESJCFF.
G.C- Lutem pelos vossos  objetivos. Não fiquem a arranjar desculpas para não fazerem aquilo que realmente querem com a vossa vida e tomem a iniciativa, ajam. A verdade é que tudo avança a uma velocidade fulminante e, por vezes, tal noção pode desanimar-nos. Exatamente por isso é que se torna cada vez mais fulcral a luta por aquilo que mais ansiamos. O tempo é efémero e se realmente desejamos algo, quer a nível pessoal quer académico, devemos agir em prol disso.

Maria Moço, 7ºE
Filipa Miranda, 7ºA
Henrique Louro, 9ºC
Diana Simões, 9ºC
Isabel Sousa, 9ºC
Diogo Nogueira, 9ºD




Joaquim de Carvalho comemora Dia dos Namorados com ações contra a violência no namoro





A escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho comemorou, no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde, em parceria com a Associação de Estudantes e em articulação com a PSP e a Unidade de Cuidados na Comunidade Farol do Mondego, o dia 14 de fevereiro, Dia dos Namorados, com uma atividade onde os relacionamentos entre os jovens foram o tema em foco, em que levar o jovem a dizer DIZER NÃO à violência no namoro foi a prioridade, refletindo sobre as relações saudáveis versus relações violentas.
Sensibilizar para a importância do estabelecimento de relações saudáveis, em que se respeita a individualidade, a privacidade e sobretudo a dignidade de cada ser humano e prevenir comportamentos agressivos foram os objetivos que sustentaram esta actividade. A comunidade escolar assistiu a um desfile, em que participaram vários pares de jovens (cada par composto por um agressor e uma vítima). Os intervenientes foram caracterizados por professores de Artes, retratando situações de agressão/violência. Um grupo de alunos acompanhou cada par com música ao vivo (alusiva à temática).
A mensagem veiculada por esta ação foi a de que comportamentos ameaçadores, manipuladores, agressivos e abusivos continuados ou pontuais não podem ser tolerados. Tendemos a desculpabilizar o agressor, argumentando com expressões do tipo: “ele faz isto porque gosta de mim” e silenciamos as agressões…. até que se atingem situações-limite, de grande vulnerabilidade emocional e/ou de violência física que colocam em risco a vida da vítima, com consequências traumáticas e devastadoras.
Na realidade continuamos a constatar que, apesar de ser um crime público, sob a alçada do Ministério Público, os portugueses não denunciam todas as situações de violência no namoro (ou doméstica) por medo ou vergonha.


Em síntese, com esta atividade pretendeu-se sensibilizar para a importância da denúncia e fazer a prevenção de comportamentos agressivos (ninguém tem direito sobre o corpo de outrem; a mulher ou o homem não tem que aguentar agressões do namorado ou namorada, nada justifica a violência física ou psicológica).Joaquim de Carvalho comemora Dia dos Namorados com ações contra a violência no namoro. 
A escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho comemorou, no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde, em parceria com a Associação de Estudantes e em articulação com a PSP e a Unidade de Cuidados na Comunidade Farol do Mondego, o dia 14 de fevereiro, Dia dos Namorados, com uma atividade onde os relacionamentos entre os jovens foram o tema em foco, em que levar o jovem a dizer DIZER NÃO à violência no namoro foi a prioridade, refletindo sobre as relações saudáveis versus relações violentas. 
Sensibilizar para a importância do estabelecimento de relações saudáveis, em que se respeita a individualidade, a privacidade e sobretudo a dignidade de cada ser humano e prevenir comportamentos agressivos foram os objetivos que sustentaram esta actividade. A comunidade escolar assistiu a um desfile, em que participaram vários pares de jovens (cada par composto por um agressor e uma vítima). Os intervenientes foram caracterizados por professores de Artes, retratando situações de agressão/violência. Um grupo de alunos acompanhou cada par com música ao vivo (alusiva à temática). 
A mensagem veiculada por esta ação foi a de que comportamentos ameaçadores, manipuladores, agressivos e abusivos continuados ou pontuais não podem ser tolerados. Tendemos a desculpabilizar o agressor, argumentando com expressões do tipo: “ele faz isto porque gosta de mim” e silenciamos as agressões…. até que se atingem situações-limite, de grande vulnerabilidade emocional e/ou de violência física que colocam em risco a vida da vítima, com consequências traumáticas e devastadoras. 
Na realidade continuamos a constatar que, apesar de ser um crime público, sob a alçada do Ministério Público, os portugueses não denunciam todas as situações de violência no namoro (ou doméstica) por medo ou vergonha. 
Em síntese, com esta atividade pretendeu-se sensibilizar para a importância da denúncia e fazer a prevenção de comportamentos agressivos (ninguém tem direito sobre o corpo de outrem; a mulher ou o homem não tem que aguentar agressões do namorado ou namorada, nada justifica a violência física ou psicológica) 
A comemoração deste dia contou ainda com várias instalações e exposições sobre a temática do amor ou (des)amor.


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Palestra: perigos da internet



No dia 7 de fevereiro, dia da Internet Segura, alunos, professores e assistentes operacionais da Escola Dr. Joaquim de Carvalho puderam assistir a uma palestra sobre segurança digital, proferida pelo Inspetor-chefe da Polícia Judiciária, Camilo Oliveira, de Coimbra.
Entre os diferentes alertas, chamou-se a atenção dos presentes para os perigos de alguns sites, nomeadamente, os que contêm informação perigosa, tais como, manuais de atividades explosivas, fotos de incentivo à violência, visionamento de material impróprio, fomentando a venda de produtos ilegais e conversas com pessoas mal intencionadas, entre outros.
Além disso, explicou também como evitar ter más experiências «online», não nos expondo nas comunidades virtuais, pedindo ainda que, sempre que fossem encontrados conteúdos impróprios, os mesmos fossem denunciados à Polícia Judiciária.




















Maria Moço, 7ºE
Ema Caldeira, 7ºA
Filipa Miranda, 7ºA

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Olimpíadas de Matemática


A  segunda eliminatória das XXXV Olimpíadas Portuguesas da Matemática, que se realizou no dia 11 de janeiro, contou com a presença de nove participantes entre os quais Diogo Belchior do 11ºano e o Xiang Guo do 9ºano da nossa escola.
Os resultados desta segunda eliminatória serão divulgados durante o mês de fevereiro. 


Bárbara Félix, 9ºC
Jéssica Castro, 9ºC
Constança Simão, 9ºC 

Olimpíadas Portuguesas de Biologia

Decorreu, no dia 1 de fevereiro, na nossa escola, a 1ª fase das Olimpíadas Portuguesas de Biologia para os alunos do 9ºano. No total, participaram 11 alunos.
Estas Olimpíadas são um concurso, na área da Biologia, destinada a estudantes do 3ºciclo, e cujo objetivo é motivar o interesse dos jovens para esta disciplina.
Ficamos a aguardar pelos resultados que determinarão quem passará à 2ª eliminatória.

Boa sorte a todos!












Filipa Miranda 7ºA
Ema Caldeira 7ºA